Viva os meninos agitados!

portinari-meninos-brincando-2

Outro dia saí com meus dois filhos. Num intervalo de menos de uma hora, dois homens se manifestaram em defesa da espontaneidade deles.

Peiki estava mexendo com a caneta e a cola dos Correios, e eu mandei colocar de volta no lugar. Um homem ao lado riu e falou algo como: – Deixa ele, é coisa de garoto, a gente só tem essa idade uma vez!

Enquanto isso, uma mulher do outro lado fazia cara feia.

Continuar lendo

Anúncios

Quase um ano

Nunca imaginei levar tanto tempo pra renovar os sentimentos.

Alguém tem aquela super faca que corta tudo? Pra ver se eu consigo cortar de vez esses laços!
Ou talvez uma cirurgia a laser pra extirpar emoções inconvenientes do coração…
Quero voar.
Quero ser livre.
Quero respirar até encher os pulmões.
Ir hacia la felicidad…
Ih, escorreguei de novo!

Que saudade estranha é essa que sinto, acho que de alguma outra vida na Espanha.
Há mais de 15 anos fui estudar espanhol, por nada, nenhum objetivo ou necessidade; só porque eu gostava. E nem estava na moda ainda. Não tinha curso em tudo que é curso de inglês, como hoje. Só tinha na Casa D’España, no Humaitá. E eu me despencava à noite pra lá, depois de ir à faculdade de manhã e ao estágio à tarde.

Continuar lendo

Eu me amo

Sempre estudei em colégio religioso. No segundo grau, um padre inteligente e cabeça aberta usou essa música do Ultraje a Rigor numa aula de religião. Acho que poucos alunos compreenderam a profundidade e a importância do tema, inclusive eu. Achávamos que a música era só uma sátira egocêntrica.

E agora me pego aqui, mais de vinte anos depois, ainda ouvindo essa música, repetidas vezes, pra ver se finalmente assimilo e ponho em prática. 😐

Continuar lendo